CIÊNCIA E CONSUMO

Ciência e Consumo

Você  acha que ciência é aquilo que aqueles caras malucos fazem dentro de um laboratório e que nada tem a ver com o seu ato de consumir diário? No fundo você sabe que deve haver alguma relação entre consumo e ciência, mas definitivamente não é algo que você fica horas pensando a respeito, certo? E na verdade nem precisa, é para isso que existem os estudiosos do assunto (como eu..rs...rs). Mas acho interessante que você saiba que esta relação entre ciência e consumo está muito mais próxima de você do que você imagina... Quer saber como? Então veja estes dois exemplos:

Uma pesquisa recente realizada por estudiosos de Yale, Harvard e MIT mostrou que uma forma simples de se conseguir maior flexibilidade nas negociações, é oferecer uma cadeira bem macia e confortável para o seu cliente  se sentar. É isso mesmo! A pesquisa indicou que o contato com objetos duros aumenta a rigidez no processo de negociação. No estudo, as pessoas que se sentaram em cadeiras macias e confortáveis se dispuseram a gastar 40% a mais na compra de um produto do que aquelas que se sentaram em uma cadeira dura!  No mesmo estudo outro experimento foi feito para mostrar que essa flexibilização não ocorre apenas em relação às compras. Pessoas que se sentaram em cadeiras mais confortáveis também avaliaram melhor a relação entre patrões e empregados da empresa onde trabalham.

Um outro estudo realizado em Yale mostrou que a temperatura da bebida que você oferece ao seu cliente influencia no julgamento que ele faz de você e de sua empresa. Temperaturas frias tendem a literalmente “esfriar” a relação! Portanto, se você está querendo melhorar seu relacionamento  com seus clientes, nada melhor do que o velho e bom cafezinho!!!!

É claro que nada disso tem o poder de fazer você comprar um produto, recomendar uma empresa ou ser fiel a uma marca, mas pode influenciar o seu comportamento sem que você ao menos perceba! E antes que você ache que então somos todos uns fantoches nas mãos destes cientistas malucos, eu te digo que é justamente o contrário: quanto mais conhecemos sobre o nosso comportamento de compra e consumo, mais caminhamos em direção a um consumo mais consciente!